10 de mai de 2007

Obras acabadas

Sempre que algo é edificado, executado ou construído, ou é por conta das necessidades ou desejos [ou ambos] de uma pessoa ou de um grupo! Todo projeto tem que suprir necessidades e em alguns casos até a realizar sonhos! É engraçado pensarmos isso no que diz respeito à arquitetura.

A arquitetura retrata os anseios de uma sociedade em uma época, ou o desejo de um grupo dominante ou em ascensão. A linguagem formal (repertório estético se preferirem), os materiais e até as técnicas são um retrato bem claro dessas necessidades e desejos.

Só que o homem não cessa de precisar, nem de sonhar, nem de desejar... sempre está ansioso querendo algo novo ou querendo mudar o que possui. E isso não é diferente com a arquitetura – e não trato aqui de obras novas, mas das que já estão aí!

Quantos milênios de arquitetura nós temos? Quantos séculos de construção e aperfeiçoamento de construções já se passaram, desde a primeira cabana? Ou deste a primeira parede de pedra argamassada? Não podemos nem responder! O fato é um só: temos uma história... um parque arquitetônico construído e uma memória muito maior que a materialmente conservada!

Só considero uma obra acabada quando ela é literalmente acaba, destruída, demolida... quando torna-se um espaço que não podemos mais sonhar absolutamente nada com ele, quando não precisamos fazer dele algo ou fazer algo nele... quando a obra deixar de existir... ou pelo tempo ou pelo homem!

Mas a obra não está morta no seu tempo... um castelo do século XII pode estar aí no dia-a-dia de uma vila ou cidade européia em pleno século XXI, é uma obra de novecentos anos, mas esta ali, no hoje... sujeita às necessidades e anseios da contemporaneidade.

Não importa se na Europa, na América ou onde quer que seja, uma obra edificada há muito ou há pouco tempo, não fica parada no seu primeiro dia de funcionamento, mesmo que ela deixe de funcionar, ela vive a realidade em que está inserida, dia após dia! Isso não é apenas uma constatação é um fato.

Obras têm vida... vivem um tempo muito maior que o seu tempo... só estão acabadas quando deixam de existir!

Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio