9 de mar de 2007

A força da cor

Imaginemos uma cidade monocromática, de qualquer cor, um conjunto edificado de uma única cor: as ruas, as edificações, tudo... É possível imaginar? Os diversos volumes que compõem as diversas edificações todos num mesmo tom, sem manchas, sem variações tonais... Tudo pintado absolutamente igual!
Pode estar parecendo um exercício mental, mas experimente mudar a cor, do rosa para o amarelo, do amarelo para o verde e assim por diante, pode ser qualquer cidade: Salvador, São Paulo, Paris, Nova Iorque, Xangai, qualquer uma mesmo! Conseguiu imaginar? Achou feio?

Agora vamos começar a manchar essa única cor com uma outra... Só uma... Não vá formar um arco-íris na sua mente, por favor! Uma edificação mais limpa, outra menos! Ou então imagine tons de uma mesma cor: edificações mais claras outras mais escuras. Consegue enxergar como as coisas começam a ficar mais claras? Como os edifícios começam a ressaltar sua volumetria, sua estética, uns em relação aos outros? Como a idade da própria edificação começa aparecer, mostrando sua época seu estilo, sua identidade?

Vamos então, começar a enxergar os edifícios de cores diferentes: um todo turquesa, outro vermelho, outro laranja! Podem ser cores quentes ou frias, mas cada edificação com sua cor... Começamos a notar melhor a paisagem, já vemos mais destacadas, numa vista área, as ruas: suas sinuosidades ou linearidades! Como os elementos começam a ser mais claros.

Não se aborreça! Mas imagine prédios com diversos volumes, texturas, materiais e cores... As mais diversas! Uns com duas, outros três, quatro, cinco, quantas cores você quiser que um edifício possua! Imaginou? Certamente sua cidade tornou-se um lugar marcante, os edifícios são distintos e as cores ressaltam suas formas!

Acredito que a cor é o elemento que mais impressiona os olhos, mais até que a forma ou a textura da edificação, de longe a percebemos e podemos até nos enganar com o estado real da edificação, sua forma, seus materiais... Podemos perceber a mesma edificação de diversas formas, dependendo da cor ou das cores dos materiais!

Repita o exercício, só que agora não use uma cidade, use uma edificação qualquer! Como ela muda dependendo da cor que possuí! Como você a percebe caso esteja branca, cinza ou preta, multicolorida! A cor tem força e nos fala tanto quanto a forma, ressalta as qualidades estéticas dos volumes e dos diversos materiais, impressiona! Observemos como a natureza é colorida e como os seus elementos possuem cores que distinguem uns dos outros.

Antes de uma arquitetura nos impressionar pela forma, o que primeiro nos chama atenção para esta é sua cor... uma caixa branca no topo de um edifício, é totalmente diferente de uma vermelha, mesmo que possuam a mesma forma e dimensões!

Blog:
http://dwd3.blogspot.com/2006_08_01_dwd3_archive.html
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

3 comentários:

  1. Oi, Isabela,
    dei uma primeira, das que serão usuais, "caminhadas" pelo seu blogue adentro. Muito bom, e mais um espaço a falar do nosso trabalho, das nossas dificuldades, do nosso dia-a-dia.
    Parabéns e espere-me de volta. Por ora, vou linkar o Arquitetura Conceitual e recomendar.
    beijos
    fernando cals

    ResponderExcluir
  2. Em tempo:
    além do Observador, onde falo de tudo, até de Arquitetura, tenho o Arquiteto Comum, esse só de nossa profissão.
    outros beijos
    fernando cals

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigada Fernando Cals, espero que esse blog seja útil em pesquisas e discussões sobre arquitetura...
    valeu...
    abçs

    ResponderExcluir